23/06/2019 às 09h59min - Atualizada em 23/06/2019 às 09h59min

Brasil joga com raça, mas acaba eliminado pela França na prorrogação

Apesar da dedicação brasileira, francesas aproveitam desorganização tática do time de Vadão e definem classificação às quartas da Copa com gol de bola aérea

EL Paris
O Brasil perdeu para a França neste domingo, em Le Havre, na França, pelas oitavas de final da Copa do Mundo feminina de 2019 e está eliminado no primeiro mata-mata do torneio. A seleção, guiada por Marta e Cristiane, se superou dentro de campo e e conseguiu levar o confronto com as donas da casa e favoritas à conquista da competição para a prorrogação, mas caíram no segundo tempo do período extra com um gol marcado por Henry. Antes, Gauvin havia aberto o placar para a França e Thaísa empatado a partida, ambos os gols na segunda etapa.

Extenuadas do fim do segundo tempo ao término da prorrogação, as brasileiras adotaram uma postura defensiva e aguentaram a pressão das favoritas até onde foi possível. Um time desorganizado, com Marta longe do gol, perdeu Cristiane lesionada no tempo extra e acabou derrotado frente a uma equipe melhor e mais bem preparada. Em sua segunda Copa do Mundo, o treinador Vadão chega a sua segunda eliminação nas oitavas de final; em 2015, para a Austrália e, agora, para a França. O líder da comissão técnica, que também falhou na briga por uma medalha nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, é quem fica com a maior responsabilidade da derrota. Seu trabalho, que chegou na estreia da Copa do Mundo com nove derrotas consecutivas, teve a má fase amenizada graças a talentos individuais, mas sucumbiu contra todas as equipes organizadas que enfrentou pelo caminho.

Na saída de campo, uma emocionada Marta fez um desabafo acerca da necessidade de incentivo e estrutura para o futebol feminino no Brasil. "Não vai ter uma Formiga, Marta e Cristiane para sempre. O futebol feminino depende de vocês. Valorizem", disse a eleita seis vezes melhor jogadora do mundo. Formiga e Cris já admitiram que este foi o último Mundial da carreira de ambas, mas a camisa 10 ainda não se pronunciou a respeito. Vale lembrar que, em 2018, pela primeira vez os clubes brasileiros são obrigados pela CBF a ter um time feminino profissional.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »