14/12/2019 às 20h14min - Atualizada em 14/12/2019 às 20h14min

Justiça determina cassação de vereador acusado de ficar com salário de assessora analfabeta

Sidney Ferreira (PSDB) pediu licença de 15 dias para resolver problemas particulares e não foi encontrado para prestar esclarecimentos.

G1
A Justiça determinou a cassação do mandato do vereador de Itatiba (SP) Sidney Ferreira (PSDB). Ele é acusado de improbidade administrativa por ter ficado com o salário de um dos assessores. O processo começou como uma ação civil pública no Ministério Público.

Segundo a decisão do juiz, todo o salário da assessora, que é analfabeta e tem dificuldade com números, era repassado ao parlamentar e não há dúvidas de que ela era utilizada como uma fonte extra de renda para o vereador.

A mulher atuou como assessora de Sidney Ferreira entre 2013 e 2015, mas raramente era vista na Câmara dos Vereadores ou em eventos políticos. A decisão diz ainda que ela não possuía características compatíveis com o cargo que exercia.


De acordo com o juiz, o salário integral da assessora era depositado na conta da esposa do vereador, que também foi considerada culpada no processo, através de cheque.

A assessora foi ouvida pela Justiça e disse que confia em Sidney e que, quando precisava de dinheiro, a esposa dele repassava parte do salário para ela, mas, segundo o juiz, não há provas de que isso realmente acontecia. Ela foi considerada inocente no caso.

De acordo com a decisão, o vereador terá os direitos políticos cassados por oito anos e terá que pagar R$ 118 mil para a Justiça. Além disso, ele e a mulher foram condenados cada um a uma multa equivalente a três vezes o valor do salário que a assessora recebia.

Sidney Ferreira ainda não foi encontrado para prestar esclarecimentos. Ele pediu licença de 15 dias para resolver problemas particulares. O período começou na segunda-feira (9).
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »